Índice de 13% se estende a todos os profissionais da Educação; ao anunciar aumento, prefeito Marcelo Rodrigues reforça defesa por Fundeb Permanente

Tendo em vista que a melhoria contínua da qualidade da educação tem sido uma das prioridades da gestão municipal, Prefeitura de Limoeiro de Anadia reajustou em 13% o salário dos educadores da rede municipal, valor que está acima do reajuste estabelecido para o piso nacional de 2020. A decisão se estende a todos os profissionais da rede municipal de Educação, desde a equipe de apoio ao pessoal do setor administrativo. Durante o anúncio do reajuste, o prefeito Marcelo Rodrigues também levantou a defesa da PEC 15/15 que propõe o FUNDEB Permanente.

Marcelo Rodrigues reafirma que a gestão está apenas cumprindo o seu dever ao reajustar os salários e pagar em dia aos servidores. Essa postura tem garantido o compromisso assumido do cuidado com a população, sobretudo com quem mais precisa da educação pública, em um contexto em que todos os municípios têm sofrido com enxugamento de custos pelo recorte de repasses do Governo Federal. “Nosso comprometimento com uma administração responsável dos recursos foi fundamental para enfrentarmos esse longo período de dificuldade financeira, e essa nossa organização foi fundamental para que hoje a gente possa chegar aqui mantendo todo o sistema público funcionando e cada vez melhor”, acrescentou Rodrigues.

No que diz respeito à educação, diversas outras ações têm sido realizadas continuamente pela Secretaria Municipal de Educação, como as reformas e manutenções de creches e escolas, construção de quadras poliesportivas, e a garantia de uma realização de uma série de atividades para incentivar a comunidade escolar.

“Há três anos, tenho exigido o melhor em termos de qualidade de ensino para a nossa Limoeiro, e tenho acompanhado de perto o trabalho realizado pela equipe de colaboradores que compõem a Secretaria Municipal de Educação. O resultado está bem visível em nosso desempenho no IDEB, nas Olimpíadas, no IFAL e em tantos outros voos alçados dia a dia por nossos  estudantes. Há três anos também tenho me comprometido com a organização de recursos, infraestrutura e, claro, com o processo contínuo de valorização dos profissionais de educação” afirmou.

A Secretária Municipal de Educação, Glauciane Veiga, também ressaltou os esforços da gestão e o reconhecimento de quem constrói a Educação. “A Secretaria Municipal de Educação, enquanto órgão gestor da educação municipal, tem como objetivo a valorização daqueles profissionais que são a engrenagem da educação. Buscamos sempre a melhoria em todos os segmentos, seja em formações continuadas, seja em estrutura física dos prédios, com construções e reformas. Prova do nosso avanço está nos índices de avaliação, como, por exemplo, o IDEB, o qual conseguimos ultrapassar a meta projetada para 2021”.

Defesa do FUNDEB Permanente

O prefeito Marcelo Rodrigues também reforçou sua adesão à campanha pela PEC 15/15 que defende o FUNDEB permanente. Considerada importante fonte de recursos destinada a melhoria da educação básica, o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB) é repassado pela União ao Estado e aos municípios. Segundo a lei atual, o Fundo deve ser repassado até 2020. A PEC propõe que o recurso se torne permanente e sugere maior repasse.

“Visto essa camisa com a consciência de que todos precisam fazer sua parte para que a educação seja uma construção contínua e responsável em todas as partes do país. Nós, da Prefeitura de Limoeiro, estamos fazendo a nossa parte, com utilização responsável dos recursos e resultados que nos orgulham, mas é importante que tenhamos recursos suficientes. A educação tem que ser prioridade. Não há como desenvolver uma cidade, em qualquer área que seja, se não houver educação de qualidade”, defendeu o prefeito.

A secretária municipal de Educação também reforçou a importância do FUNDEB permanente. “Por sermos um município pequeno, nossos recursos são escassos. O dinheiro arrecadado com os impostos é insuficiente para garantir um gasto mínimo essencial por aluno, dependemos do FUNDEB para arcar com as despesas com a Educação, e isso inclui a folha de pagamento, mas nossos esforços quanto a valorização da educação é enorme, o aumento de 13% é apenas umas das ações que visa o respeito à formação e a carreira do profissional do magistério”, declarou.

“É preciso defender a continuidade do FUNDEB, pois é este fundo que nos possibilita reduzir as desigualdades de ensino entre cidades como a nossa, com receita pequena, e aquelas que possuem maior desenvolvimento, atuando de forma democrática, e possibilitando que município como o nosso sejam capazes de competir nacionalmente em olimpíadas, por exemplo.”