Nesta sexta-feira, 31 de janeiro, 1000 famílias beneficiárias do programa já receberam dinheiro no cartão e podem fazer compras nos estabelecimentos comerciais cadastrados

Comércio local crescendo e população com mais acesso aos bens de consumo. Essa é a realidade que Limoeiro de Anadia tem vivido um mês após o lançamento do Programa Renda Melhor, do Banco Comunitário de Desenvolvimento e da Moeda Livre – a primeira Moeda Social eletrônica do Estado. Nesta sexta-feira, 31 de janeiro, as famílias beneficiárias tiveram o valor do benefício depositado em suas contas e já podem efetuar compras nos estabelecimentos comerciais cadastrados. Ao todo, mais de 1000 famílias cadastradas na Assistência Social já fazem parte do programa social, cujo intuito é combater a desigualdade e a pobreza, e promover desenvolvimento através da Economia Solidária.

Para Crisleine de Almeida, o programa tem ajudado no sustento de sua filha. “Ajuda muito na renda financeira e faz diferença. Tenho comprado as coisas da minha filha, e está fazendo mais diferença nesse sentido. Vou comprar fralda, perfume, massa, leite”, relata. Já para Cícera, moradora do Sítio Canto, o reforço vem principalmente na alimentação. “Comprei umas misturas que estava precisando, fuba, e coisas para comer”, relata.

O comerciante Erisvan da Silva comemora o aumento do movimento no mercadinho. “Tem uns 15 anos que estamos nesse rumo e agora mudou bastante. Na data de pagamento aumenta quase 1000% o movimento aqui. Só sucesso”, celebra. Segundo Erisvan, a alimentação é o carro-chefe das vendas. “Esse mês que é volta às aulas, então o pessoal está comprando também material escolar, mas no geral é quase tudo cesta básica, alimentos”, afirma.

O dono do mercadinho também reforça como o Programa tem auxiliado na renda das famílias e no aquecimento do mercado local. “É um dinheiro na renda extra e valoriza mais. Como o cartão é válido só na cidade, não tem como a pessoa gastar fora. Isso ajudou muito. Acrescentou a renda e já ajudou no salário dos funcionários”.

O prefeito Marcelo Rodrigues relata como a tríade – que inclui a implantação da Moeda Livre, o programa Renda Melhor e o Banco Comunitário de Desenvolvimento – tem posicionado o município como parte da solução em meio à grave crise econômica e social enfrentada pelo país.

“Sabemos que os índices de desemprego e de aumento da pobreza são desanimadores em todo o país, e o quanto municípios com dependência de verba federal sofrem diretamente quando há corte no orçamento. Possuir uma moeda própria, um programa social e um banco comunitário que a estruture, significa para nós desenvolver políticas públicas e sociais que têm o objetivo principal de combater a desigualdade social por meio de práticas econômicas que valorizam a participação coletiva, autogestão, cooperação, democracia e a preservação do meio ambiente”, comentou o gestor. “E, principalmente, traz mais empregos, porque os comerciantes e empresários têm um retorno rápido com o aumento das vendas, já que a moeda só circulará dentro do município, impulsionando o comércio local”.

Rodrigues também reforça a importância da população limoeirense se engajar em todo o projeto, seja aderindo a moeda social e comprando dentro do município, seja incentivando comerciantes locais se cadastrarem para receber através da moeda.

Até o momento, 46 estabelecimentos já aceitam o cartão do programa em 14 povoados, além do centro da cidade. Para ter acesso ao cartão do Programa Renda Melhor, as famílias devem estar devidamente cadastradas na Secretaria Municipal de Assistência Social através do Cadastro Único e possuir rendas compatíveis com a classificação de maior vulnerabilidade social.

Economia Solidária

A autonomia propiciada pela economia solidária tem sido um dos grandes alicerces que incentiva criação da atual tríade que compõe a Moeda Livre, o Banco Comunitário e o Programa Renda Melhor.

As práticas de Economia Solidária se constituem quando o atendimento das necessidades econômicas de uma comunidade são tomados de forma coletiva, culminando no desenvolvimento de práticas embasadas na cooperação, na autogestão e na solidariedade. A economia solidária existe em ambientes onde há cuidados sustentáveis em relação ao meio ambiente, e autopreservação das diversidades culturais e comunitárias. O objetivo é enfrentar as agruras do sistema de acumulação que tanto causa desigualdades e pobreza, a partir do trabalho coletivo que se dá em formações associadas, cooperadas, além das trocas solidárias, bancos comunitários e diversas outras atividades similares que transformam a realidade local através da gestão coletiva.

Limoeiro de Anadia dá um passo à frente no programa, que é resultado de longo período de estudos, acúmulo de experiências em outros estados, e municípios alagoanos, e parcerias que envolvem a Prefeitura de Limoeiro de Anadia, a Universidade Federal de Alagoas – UFAL, Campus Arapiraca, além da sociedade civil organizada, tendo a frente a Associação de Mulheres do Cadoz.